branding gestalt

A Mística do Logo da Baleia 17 Anos Depois!

4.9.14Andy Santos


Uma das vias para se mensurar a popularidade de qualquer marca é o público a reconhecer e ter apreço mesmo ela não estando há algum tempo em atividade. É o caso do Hartford Whalers, antiga franquia da liga americana de hóquei (NHL) que encerrara suas atividades em 1997, se transformando no Carolina Hurricanes. Quase 20 anos depois a marca ainda permanece presente.

O por quê? O logo é simples, bem construído, usando dos bons artifícios do design e assim bem fácil de ser memorizado. Os Whalers (traduzindo, seria Baleeiros, porque whale é baleia) nunca foram destaque como equipe, raramente frequentando os primeiros lugares, contudo aparecem estampados em camisetas de celebridades do cinema como Megan Fox e chama atenção até de um simples torcedor de beisebol vesti-la no meio da multidão. Peter Good, o criador do logotipo se surpreende com a força e longevidade que se tornou seu trabalho: "Parece que ele (o logo) foi embora do hóquei profissional para uma espécie interessante de ícone social, que tem apelo por algum motivo".

Como citado antes, o logo dos Whalers possui estrutura simplificada. Desde sempre formado para lembrar a forma robusta da baleia. Até 1979 a franquia se baseava em New England e trazia como símbolo um arpão, totalmente fora de contexto. A seguir foi para cidade de Hartford onde Peter foi chamado e teve a sacada de juntar ao "W" o rabo da baleia e nessa união se forma o "H" na área branca, vazada.

O designer declarou: "Os arpões são simbólicos de matar baleias, então você está realmente expressar a idéia de matar seu próprio mascote. Então eu disse: deixe-me ver se eu posso fazer algo mais positivo." E o "algo" mais positivo resulta em um dos marcantes símbolos esportivos. Pode ser percebido nos estudos que Peter sempre quis deixar o "H" vazado, fazendo essa relação figura e fundo, padrão da teoria Gestalt. Os tons de azul na cauda e verde na letra "W" nos faz movimentar o olhar de cima para baixo, como se fosse um mergulho.

Porém há um capítulo não tão agradável nessa história. No começo da década de 90 o dono dos Whalers em uma medida desesperada, por causa dos maus resultados, chega a Peter Good e questiona se há como desenvolver um logo mais "agressivo". Peter disse que não conseguia mensurar a tarefa, que essa ação não ajudaria o time a ganhar os jogos e se recusou a prosseguir. E sem a vontade do mentor, o logo ganha um fundo cinza, contornos brancos internos, uma espécie de couraça que deixa a composição bem mais pesada e difícil de ser lida.

A seguir os logos que ajudaram a estruturar a marca Whalers que não fora bem sucedida no rinque de gelo, contudo angaria popularidade por todo esse tempo.

O logotipo clássico do Hartford Whalers, criação de Peter Good

Logotipo do New England Whalers, com o arpão no meio do desenho
O passo a passo dos estudos de Peter Good para chegar à versão final
Ron Francis, o melhor jogador dos Whalers
Megan Fox, usando uma camiseta dos Baleeiros
O logo de fundo cinza, desenvolvido contra a vontade de Peter Good

Website da Cummings & Good, escritório do Peter: cummings-good.com

You Might Also Like

0 comentários

INSTAGRAM

CONTATO