arte conceitos

Conceituais e Funcionais Medalhas Paralímpicas Rio 2016

15.6.16Andy Santos


Finalmente as medalhas olímpicas e paralímpicas para os jogos Rio 2016. Desenvolvidas em parceria entre Casa da Moeda e departamento de design do Comitê Organizador, as peças foram fabricadas com cuidado em suas composições, como ausência de mercúrio no ouro e reaproveitamento de metais da própria Casa da Moeda, andando de mãos dadas com a sustentabilidade. Mas desse projeto, o mais interessante em conceito e propriedade em sua existência de função é o kit paralímpico e vou lhe contar o por quê.

Como desenho, à primeira vista, as medalhas paralímpicas com certeza são uma das mais lindas em todas as edições. Seu fluídico logotipo é laureado por figuras que representam sementes. Sementes essas que representam a coragem, persistência e desenvolvimento dos atletas.


Desde o começo o comitê Rio 2016 expõe sua identidade visual conceituada à natureza, tão presente no dna e rotina carioca. Do logo até os mascotes o orgânico está presente em cores, formas e traços. Não seria diferente com as medalhas, não é? E especificamente dos jogos paralímpicos, que se tem uma liberdade maior para desenhar, o aspecto fica mais leve.

Além do destaque ao desenho, há a questão de sua funcionalidade. No verso de cada uma, há inscrições em braile com a frase "Rio 2016 Paralympic Games" e a inovação maior é que dentro de cada medalha há um dispositivo interno, uma espécie de guizo, com barulhos distintos para cada metal, facilitando assim a identificação pelos atletas deficientes visuais. Literalmente uma experiência simples, inteligente e sensorial.

Destaque também para os estojos que abrigarão as medalhas, tendo a forma bem congruente com a do logotipo e feita de madeira certificada e reciclada, oriunda de área de manejo ambiental sustentável e socialmente responsável.

A seguir mais imagens detalhadas do projeto, deixe seu comentário, ficaremos felizes de ler sua opinião.














You Might Also Like

0 comentários

INSTAGRAM

CONTATO