arte automobilismo

Fora do Alvo - Encerra-se a Parceria Target e Chip Ganassi

27.10.16Andy Santos


Todo carnaval tem seu fim, e pelo que se nota nos últimos tempos, toda longa parceria de patrocínio esportivo também tem seu fim. Após 27 temporadas sendo a principal patrocinadora, a rede varejista Target decidiu encerrar seu vínculo com a equipe Chip Ganassi na Fórmula Indy.

Desconfiei de que algo estaria estranho lá no começo do ano, se iniciando o campeonato. O carro 9, pilotado por Scott Dixon, vinha com layout composto do vermelho e os tradicionais alvos-símbolo da Target predominante na carenagem. Contudo possuía desenhos de raios amarelos, típico dos bólidos dos anos 1990, época de maior dominação da equipe, com títulos de Montoya, Zanardi e Vasser.


O layout da última temporada da Chip Ganassi Racing com os alvos da Target
Tal design possui sim a característica comemorativa, pois completam-se 20 anos da conquista de Jimmy Vasser, a primeira da Chip Ganassi na então F-Indy (que terminou se chamando Champ Car). Entretanto a pintura foi o canto do cisne da união de duas entidades que conseguiram se tornar uma forte marca no automobilismo, e no esporte em geral, assim como foi PSV + Philips, Flamengo + Petrobras e Celta de Vigo + Citroen.

Todas as parcerias citadas tiveram pelo menos 25 anos de duração e se encerraram na última década. Mudanças de patrocínios sempre foram comuns no esporte, mais intensamente no período recente. Mas quando um elo tão duradouro finda é difícil  para o fã imediatamente se acostumar com a nova disposição gráfica, ainda mais sendo uma equipe de corrida, na qual quando o patrocínio muda, as formas e cores são bem distintas.


Em '96 Jimmy Vasser ganha o primeiro título da parceria Target - Chip Ganassi
Scott Dixon e Tony Kanaan posando com os carros 9 e 10 prateados e dourados para comemorar nas 500 milhas de Indianápolis edição 2014 as 25 temporadas de parceria com a Target. Este foi o último ano que a empresa patrocinou dois carros da Ganassi.
A Target continuará patrocinando o carro 42 da Chip Ganassi na Nascar. Porém, vamos relembrar o que foi dito no primeiro parágrafo, foram 27 anos juntos, a varejista estampando sua identidade nos carros de fórmula, com começo simples, até a Ganassi se transformar em dos grandes times do automobilismo americano. Uma graças a outra ganharam porte e uma deve a outra por serem grandes marcas individualmente sendo por quase 30 anos uma marca só. Recordemos também que a Penske, sua grande concorrente na Indy teve cisão semelhante, quando encerrou seu patrocínio com a Marlboro.


Dario Franchitti foi campeão pela Ganassi e venceu as 500 milhas de Indianápolis com o carro 50 em vez do 10, em ação de marketing pelo aniversário de cinquenta anos da rede varejista
Oficialmente a Target informa que o encerramento do vínculo é por estratégia de negócios. Gostemos ou não, faz parte do show. Mas não veremos os alvos no carro vermelho e também não acompanharemos mais a evolução de layout nos carros, como há quase três décadas. A seguir uma cronologia de imagens e legendas, das pinturas que fizeram a relação Target-Chip Ganassi quase umbilical.


Eddie Cheever foi o primeiro a conduzir o carro da Chip Ganassi com id. visual da Target, em 1990. Carro branco, com o alvo-símbolo tomando a maior parte do bólido
Na temporada 1993 Arie Luyendyk conduz o carro com layout já predominantemente vermelho e com detalhes em preto nas laterais e aerofólio traseiro, tendo o número em amarelo
Alex Zanardi conduz o carro com o carro vermelho e raios amarelos, dos tempos dominantes da equipe Ganassi, na temporada 1998 com o número 1, direito adquirido pelo título de 97
Em 2000 as 500 milhas pertenciam à IRL, cisão da Champ Car. Nesta edição a Ganassi fez participação na categoria apenas nessa prova e venceu, com Juan Pablo Montoya usando o layout vencedor
Na temporada 2002, última disputada na Champ Car a Ganassi pintara de branco a parte de cima dos carros, retirou os raios e começa a usar a repetição dos alvos, nas laterais da carenagem e no aerofólio. Carro 12, pilotado pelo sueco Kenny Brack
Na mesma temporada 2002, uma participação nas 500 milhas e Bruno Junqueira pilota o carro com uma faixa vermelha na altura da saída de ar, para se diferenciar do carro de Brack 
Na metade da década de 2000 o vermelho volta a prevalecer nas máquinas, contudo o carro de Scott Dixon para se diferenciar do de Franchitti usava mais pontos em branco
Em 2012 em Indianápolis o carro 10 virou 50 e Franchitti venceu. Nessa época os carros da Indy mudaram seu desenho de chassi e os alvos ficaram posicionados nas extremidades laterais 
O carro de Dixon coberto de estrelas de papel para comemorar seu campeonato em 2008
A coroa do vencedor da Indy 500 sobre o carro 50. E ficou massa a adaptação do número, tendo o símbolo no lugar do número zero
Na década de 2010 a equipe Ganassi lançou mão de patrocinadores masters alternativos em algumas corridas, mesmo assim a presença da Target era forte 
Nas corridas disputadas na cidade canadense de Toronto, o layout era quase sempre esse - símbolo da Target, um coração, e a folha de plátano

You Might Also Like

0 comentários

INSTAGRAM

CONTATO