Brasileirão comemorativo

Os 50 Anos de uma Inesquecível Taça Brasil Conceituando a Nova Camisa Cruzeirense

24.11.16Andy Santos


7 de Dezembro de 1966 - nesta noite acontecia uma das maiores e aguerridas viradas de jogo no futebol brasileiro, que culminou na conquista da Taça Brasil pelo Cruzeiro Esporte Clube, seu primeiro título em nível nacional. Às vésperas dos 50 anos deste feito a Umbro apresentou a nova terceira camisa do time celeste homenageando a inesquecível glória, virando um dos fatos da semana.

O novo item cruzeirense estreou na partida de domingo, 20 de novembro, no Mineirão contra o Santos. Esse mesmo Santos, que fora adversário na final de '66 no estádio do Pacaembu, com Pelé e companhia, que abriu 2 x 0 no placar. Porém apesar do score adverso, da chuva e o campo enlameado, Tostão, Dirceu e Natal construíram a virada para 3 x 2 e o Cruzeiro levou a taça para BH.


Como descrever o layout desta camisa comemorativa? Ou melhor, como deve ter sido o desafio para a galera criativa da Umbro desenhar e desenvolver a peça? O manto celeste é um clássico, tendo seu tom azul basicamente inalterado nessas décadas e sempre foi um best-seller em simplicidade. O fruto do projeto é uma das mais belas camisas que já entraram em campo no futebol brasileiro, com a pegada retrô, sem descaracterizar a essência alvi-azul.

Naturalmente o contexto para a conceituação é se colocar em 1966. O azul vem acompanhado de texturas que remetem ao algodão, material onipresente nos uniformes de futebol até a década de 1990, resultando em tom mais claro que o habitual. Os patrocinadores principais, Caixa e Vilma Alimentos entram na trama com seus logotipos como eram há 5 décadas atrás. Nesse quesito destaque disparado para a insígnia da Caixa, que linda! Até a Umbro entrou na dança e estampa a peça com seu logo sessentista.


Falemos também da gola, em forma de V, contudo diferenciada, possuindo quase uma extensão que se mistura com o corpo da camisa. Na parte externa da gola uma marca d'água com desenho da onipresente coroa, referente à 2003 que é dos anos mais gloriosos da história azul ganhando estadual, Brasileiro e Copa do Brasil. Logo abaixo o logo da umbro e uma faixa com o ano da conquista nacional. Na barra tem uma taça estilizada, sendo mais uma alusão ao feito de '66.

A tipografia numérica também é um charme, é um estilo que é sempre utilizado em peças retrô no esporte, só reparar. Exemplo? Olha a camisa especial do Corinthians em 2010, no seu centenário. É sempre um acerto.


As camisas de goleiro vem no tom amarelo e azul, com gola polo. Ele não jogou nesta histórica partida, mas não tem como não lembrar em camisa amarela cruzeirense sem lembrar de Raul Plasmann.

A seguir mais imagens. Que tal o projeto da Umbro com o Cruzeiro? Deixe seu comentário!





You Might Also Like

0 comentários

INSTAGRAM

CONTATO